Economia

China deve manter ritmo moderado nas reformas

Da Redação ·
A China precisa seguir adiante a um ritmo moderado para liberalizar as taxas de juros e tornar a conta de capital totalmente conversível, segundo Chen Yulu, professor e presidente da Universidade Renmin e consultor do Banco do Povo da China (PBOC, o banco central do país). Em um seminário financeiro, Chen disse que isso não pode ser feito muito rapidamente sem provocar turbulência no mercado. As taxas de juros no sistema bancário chinês são guiadas pelas taxas básicas do PBOC, mas os bancos têm alguma flexibilidade no estabelecimento de suas próprias taxas. A abertura da conta de capital antes da liberalização dos juros geraria arbitragem do exterior, disse Chen. O relatório sobre reformas apresentado por Chen mostra um cronograma para liberalizar as taxas de juros até 2017 e converter a conta de capital, que engloba investimentos, até 2020. O yuan é conversível na conta corrente, que engloba o comércio, e o governo repetidamente disse que quer tornar o yuan conversível também na conta de capital, mas não apresentou um prazo para isso. Na sexta-feira, 24, o governo chinês anunciou uma longa lista de prioridades de reformas para este ano, mas continuou não estabelecendo um cronograma. Economistas vêm sugerindo que as metas sejam cumpridas mais rapidamente, mas, questionado sobre isso, Chen afirmou: "Isso não é fácil". As informações são da Dow Jones.
continua após publicidade