Economia

Bovespa registra quarta queda seguida; OGX sobe

Da Redação ·
A Bovespa abriu a semana em baixa, engatando a quarta queda seguida, influenciada pelas perdas vistas no exterior. O dado mais fraco divulgado na China deu início ao ciclo de vendas, mas a pressão do investidor estrangeiro se sobressaiu na sessão doméstica. O início dos ajustes para o exercício das opções sobre ações, na próxima segunda-feira, também foi citada nas mesas para a pressão baixista. O Ibovespa terminou a sessão desta segunda-feira, 13, com desvalorização de 1,20%, aos 54.447,77 pontos. Na mínima, registrou 54.389 pontos (-1,30%) e, na máxima, 55.106 pontos (estabilidade). Nessas quatro sessões no vermelho, perdeu 3,24%. No mês, a queda é de 2,62% e, no ano, de 10,67%. Segundo um operador, foi vista a ação mais forte do estrangeiro na ponta vendedora. Mas o giro, segundo ele, foi fraco - o segundo menor do mês -, o que acaba distorcendo um pouco o comportamento da bolsa. Ele justificou que o investidor segue desmotivado a comprar Bovespa e dados ruins lá fora acabam explicando o comportamento doméstico. Ele citou ainda a produção industrial chinesa, abaixo do previsto. O dado, entretanto, mostrou expansão de 9,3%, ante 9,5% previstos. Por outro lado, nos EUA, veio bom o dado de vendas no varejo, que subiu 0,1% em abril, ante previsão de queda de 0,4%. Na Europa, Londres subiu 0,10% e Paris caiu 0,22%, mostrando que uniformidade passou longe dos mercados de lá. Nos EUA, o Dow Jones recuou 0,18%, aos 15.091,68 pontos, S&P ficou estável nos 1.633,77 pontos, e Nasdaq avançou 0,06%, aos 3.438,79 pontos. Aqui, Petrobras e Vale fecharam no vermelho: Vale ON perdeu 2,34% e PNA, 2,09%. Petrobras ON caiu 2,34% e PN, 2,81%. A estatal do petróleo captou nesta segunda-feira no mercado externo US$ 11 bilhões em bônus em três vencimentos. A demanda, no entanto, atingiu US$ 45 bilhões. OGX foi uma das exceções entre as ações com maior participação no Ibovespa, ao subir 2,45%, a segunda maior do índice. Papel muito volátil, seu desempenho não teve uma causa atribuída pelos especialistas. Gafisa, por outro lado, recuou 4,99%, na vice-liderança das baixas do Ibovespa, depois de ter apresentado um prejuízo no primeiro trimestre 88% superior ao projetado pelos analistas. O resultado atingiu R$ 55,473 milhões, com aumento de 76% na comparação com igual período de 2012.
continua após publicidade