Economia

Conab eleva projeção de grãos da safra 2012/13

Da Redação ·
A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) revisou para cima sua estimativa da produção de grãos, fibras e oleaginosas na safra 2012/13. No sétimo levantamento divulgado nesta terça-feira a projeção é de produção de 184,05 milhões de toneladas, volume 10,8% superior ao colhido no período anterior (167,77 milhões de toneladas) e superior as 183,58 milhões de toneladas estimadas em março (+0,25%, ou 462 mil t). Na estimativa de janeiro, a previsão era de produção de 184,99 milhões de toneladas na safra 2012/13. Segundo os técnicos da Conab, as condições climáticas favoráveis, o excesso de chuva na região Centro-Oeste, o aumento na área do milho de segunda safra e a conclusão do período de semeadura foram os responsáveis pelo aumento da produção. A soja se destaca com crescimento de 23,4% sobre as 66,38 milhões de toneladas colhidas na safra passada, com produção estimada em 81,94 milhões de toneladas. O milho de segunda safra tem bom desempenho, com aumento de 9,1% sobre as 39,11 milhões de toneladas do último período, e deve atingir 42,69 milhões de toneladas. Os técnicos observam que o volume da segunda safra (antiga safrinha) supera a produção do milho de verão (primeira safra), estimada em 34,77 milhões de toneladas. O arroz também se destaca com crescimento de 3%, passando de 11,6 milhões de toneladas para 11,94 milhões de toneladas. O levantamento da Conab mostra que a área total de plantio de grãos cresceu 4,2% em relação à safra passada (50,89 milhões de hectares) e chegou a 53,04 milhões hectares. As culturas de soja e milho obtiveram também os maiores aumentos de área plantada. A expansão da área da soja foi de 10,7% (de 25 milhões para 27,71 milhões de hectares). A área do milho de segunda safra cresceu 13,4% (de 7,62 milhões para 8,64 milhões de hectares). Para realizar o sétimo levantamento de safra os técnicos da Conab foram a campo entre 18 a 22 de março, quando entrevistaram a aplicaram questionários aos representantes de cooperativas, de secretarias de agricultura e órgãos e instituições rurais da iniciativa pública e também da privada dos principais polos agrícolas do País.
continua após publicidade