Economia

Galeão terá só 30% das obras prontas para eventos de 2013

Da Redação ·

Por Denise Luna RIO DE JANEIRO, RJ, 8 de abril (Folhapress) - Os turistas que chegarem ao Rio de Janeiro para a Jornada Mundial da Juventude e para a Copa das Confederações no primeiro semestre deste ano vão encontrar apenas 30% da obras do Aeroporto Internacional Tom Jobim-Galeão prontas, informou hoje a Infraero. Em vistoria feita pela manhã junto com o ministro Moreira Franco, da Secretaria de Aviação Civil, o presidente da Infraero, Gustavo do Vale, admitiu que as obras atrasaram em cinco meses, mas garantiu que serão finalizadas à tempo da Copa do Mundo em 2014. Para os dois eventos deste ano, a Infraero vai montar um plano de contingência, como faz para todos os grandes eventos que acontecem na cidade, informou Vale, a exemplo da Rio +20, no ano passado. Somente para a Jornada da Juventude, que acontece apenas no Rio de Janeiro, a estimativa é que a cidade receba entre 2 a 3 milhões de pessoas, grande parte vinda de fora do país. "É uma logística que a gente faz para todos os grandes eventos, ficará pronto nos próximos 15 dias, com todos os órgãos envolvidos no processo. No aeroporto terá um responsável por cada ponto de embarque, por cada esteira de bagagem", disse Vale sem dar detalhes. Os possíveis novos concessionários do Tom Jobim também vão receber o aeroporto ainda em obras. Segundo Moreira Franco, que assumiu o cargo no mês passado, a licitação para privatização do Tom Jobim será em setembro deste ano, enquanto as obras só ficarão prontas no primeiro trimestre de 2014. As obras do Tom Jobim começaram em 2010 e vão custar R$ 860 milhões. Bolsa Só em 2017 Vale informou também que a Infraero pretende deixar para 2017 a abertura de capital da empresa. Ele explicou que antes é preciso privatizar os aeroportos e melhorar a gestão da autarquia, para torná-la mais atraente aos investidores. "O projeto de abertura de capital existe, mas vai ficar para depois. Imagino que a gente comece a pensar nisso depois da concessão dos dois aeroportos (Confins, em Minas, e Tom Jobim)", disse Vale. "Para você abrir capital tem que estabilizar o ativo da Infraero... definir o tamanho dela para vender alguma coisa. [Pensamos] em começar a estudar o IPO (abertura de capital) em 2014 e fazer o operação em 2017", acrescentou. No ano passado, o governo concedeu os terminais de Guarulhos, Brasília e Campinas (Viracopos) a iniciativa privada e programa para setembro desse a concessão dos aeroportos do Galeão e Confins (Belo Horizonte).  

continua após publicidade