Economia

Coeuré defende ações conjuntas sobre crédito

Da Redação ·
Transmitir as baixas taxas de empréstimos do Banco Central Europeu (BCE) para a economia real continua sendo um problema em grande parte da zona do euro, mas não cabe só ao banco central resolver a questão, afirmou Benoît Coeuré, membro do conselho executivo europeu nesta sexta-feira. "Para restaurar a oferta de crédito na zona do euro, provavelmente é preciso haver uma combinação da ação do banco central e dos governos", disse Coeuré em uma coletiva de imprensa em Paris. "A liquidez é o trabalho do banco central e fizemos muito [...] e se estas medidas são vistas como insuficientes, nós vamos ajustá-las. Mas a questão mais fundamental da qualidade dos carteiras dos bancos e de sua capacidade de emprestar para a economia é algo que deve ser tratado pelos supervisores bancários e governos", disse a autoridade, ressaltando que os bancos dos governos e de desenvolvimento poderiam desempenhar um papel nesse processo. Coeuré acrescentou que não há nenhuma razão para que as condições de crédito sejam as mesmas em diferentes economias em diferentes situações assim como os riscos não são os mesmos. O membro do conselho executivo europeu também disse que a ausência de surpresas negativas justificaram a manutenção da taxa básica de juros do BCE, anunciada ontem. Mas ele acrescentou que a inflação está se movendo abaixo da meta do banco central, o que será acompanhado de perto. As informações são da Dow Jones.
continua após publicidade