Economia

Trabalhadores cruzam os braços em construções do rio Madeira

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 2 de abril (Folhapress) - Trabalhadores da construção civil nas usinas de Jirau e Santo Antônio, no rio Madeira, em Rondônia, entraram em greve hoje após negociações com as construtoras fracassarem.

Os funcionários reivindicam reajuste salarial de 15%, aumento na cesta básica de R$ 270 para R$ 350 e PLR (Participação nos Lucros e Resultados) de 50 horas (hoje é de 30), segundo o vice-presidente do Sticcero (Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Construção Civil do Estado de Rondônia), Altair de Oliveira.

O Consórcio Construtor Santo Antônio e a construtora Camargo Corrêa, responsável pelas obras em Jirau, ofereceram aos trabalhadores, segundo o sindicato, 10% de reajuste para quem ganha até R$ 2.600 e 8% para quem ganha acima disso, além de aumento de R$ 20 na cesta básica.

A proposta patronal não foi aceita pelos trabalhadores. A partir de amanhã, os grevistas começarão a fazer uma "agenda de negociação', disse Oliveira.

As usinas de Jirau e Santo Antônio empregam, respectivamente, cerca de 17 mil e 13 mil funcionários da construção.

De acordo com o Sticcero, o piso de um pedreiro nas usinas é de R$ 1.256 e o de um ajudante é de R$ 954.

Além da greve nas usinas, trabalhadores ligados ao Sticcero que trabalham na construção de prédios em Porto Velho também pararam, informou o sindicato.

Outro Lado

A Camargo Corrêa afirmou que iniciou as negociações com o sindicato três meses antes da data base da categoria, que é em maio, a fim de evitar greves, e disse que solicitou à Justiça do Trabalho a intermediação com dissídio coletivo.

"O clima no canteiro de obras de Jirau é de normalidade e as atividades essenciais estão mantidas', afirmou, em nota.

O Consórcio Construtor Santo Antônio disse que enviou propostas aos trabalhadores após negociações com o sindicato e que foi "surpreendido' com a greve. Afirmou ainda que "está concentrando todos seus esforços para a retomada imediata dos trabalhos e confia na continuidade dos entendimentos para a retomada imediata das obras'.

A usina de Santo Antônio possui 11 turbinas em operação comercial e gera 783 MW de energia, informou a empresa. O avanço das obras é de 83% e a previsão de conclusão é em 2015. Jirau ainda não entrou em operação e tem previsão de conclusão em 2015.
 

continua após publicidade