Economia

Tombini prevê expansão de investimentos no 1º trimestre

Da Redação ·
O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini (BC), salientou nesta terça-feira, durante audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, que os investimentos registram tendência de expansão no primeiro trimestre deste ano. "Neste item importante da economia, o crescimento apareceu no quarto trimestre 2012 e os indicadores antecedentes apontam para expansão do investimento da economia no primeiro trimestre deste ano", disse. Na abertura de sua fala, Tombini disse que a perspectiva para o cenário externo continua sendo caracterizado por baixo crescimento econômico ao longo dos próximos anos e, sobre a economia brasileira, avaliou que o País está "experimentando" uma recuperação gradual da atividade. "O processo ocorre de forma gradual e a perspectiva é que se intensifique ao longo de 2013", previu. Sobre a inflação, o presidente do BC disse que em "boa parte" de sua apresentação na CAE, vai mostrar a evolução nos últimos tempos e as perspectivas para os próximos meses dessa variável. "Temos falado que a inflação tem mostrando certa resistência ao longo dos últimos meses", adiantou. Fortes incertezas Tombini, avaliou que o cenário externo tem apresentado incertezas em um nível acima do usual. Ele citou o crescimento baixo de alguns países, período prolongado, e a passagem por uma crise fiscal após a crise financeira de 2007 e de 2008. "Episódios recentes demonstram fragilidades no campo financeiro, como o episódio do Chipre. Mas, de certa forma, relembro a todos, que incertezas permanecem sobre a economia internacional", disse durante audiência pública na CAE do Senado. Em relação aos Estados Unidos, Tombini disse que o país é o que apresenta o desempenho mais promissor. Há sinais de recuperação, disse, citando vendas, mercado imobiliário e mercado de trabalho. Nas economias emergentes, o ritmo de atividade tem se intensificado, conforme o presidente do BC. Esse movimento, segundo ele, é amparado principalmente pelo mercado doméstico, dado que o crescimento do mercado global ainda é modesto. As perspectivas para 2013 apontam, conforme dados apresentados pelo presidente do BC, que a zona do euro ainda está com concentração de desemprego, a China está estabilizando sua taxa de crescimento em níveis ainda significativos e os EUA demonstram expansão um pouco maior, depois de várias revisões das previsões. "O mercado de trabalho, nos Estados Unidos, já apresenta queda do nível de desemprego, enquanto na economia da Zona do euro o desemprego é crescente. O dado de fevereiro que saiu hoje mostra certa estabilidade", pontuou.
continua após publicidade