Economia

Não pedimos que o BoJ aja de forma imprudente, diz Abe

Da Redação ·
O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, reconheceu nesta segunda-feira que atingir a meta de inflação de 2% em dois anos pode ser um desafio para o Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês). Segundo Abe, poderão haver casos em que o banco central não conseguirá alcançar seu objetivo dependendo das condições econômicas. "Nós não estamos pedindo que o BoJ aja de forma imprudente", disse Abe a uma comissão parlamentar. "Já que a economia tem uma vida própria e ninguém pode prever o que acontecerá no futuro, podem haver casos" em que o BoJ não conseguirá alcançar a meta. Abe disse que se o BoJ não atingir a meta, ele deve explicar as razões para o governo e o Parlamento. O primeiro-ministro destacou a importância de o BoJ avançar com medidas ousadas de relaxamento monetário de diferentes tipos para atingir a meta. É "uma questão de equilíbrio", disse Abe. As informações são da Dow Jones.
continua após publicidade