Economia

Rússia não ajudará depositantes no Chipre, diz ministro

Da Redação ·
O primeiro-vice-primeiro-ministro da Rússia, Igor Shuvalov, disse que o governo não ajudará os cidadãos do país que podem perder quantias substanciais de seus depósitos em bancos do Chipre. No entanto, o país pode considerar resgatar empresas estatais se alguma delas for seriamente afetada pelo colapso bancário na ilha. "Se alguém perder dinheiro, perdão, mas o governo russo não tomará nenhuma ação nessa situação", disse Igor Shuvalov à rede de televisão Rossiya na noite de domingo. "Se houver uma perda grave de uma empresa com participação estatal, nós estaremos prontos para analisar isso publicamente e de forma transparente aqui na Rússia, mas isso não ajuda necessariamente o Chipre." O banco central de Chipre diz que depositantes com mais de 100.000 euros (US$ 128.000) no Banco de Chipre podem perder quase 40% de seu dinheiro como parte de um pacote de resgate de 10 bilhões de euros negociados com países da zona euro e com o Fundo Monetário Internacional. Depósitos não segurados no Banco Popular do Chipre, também conhecido como Laiki, podem perder quase tudo. O governo estima que 19 mil depositantes do Banco de Chipre serão afetados, muitos dos quais analistas acreditam que são indivíduos e empresas de pequeno e médio porte russas. A maioria das grandes empresas russas disse que tinha uma exposição limitada à situação no Chipre. As informações são da Dow Jones.
continua após publicidade