Economia

Hamilton repete missão do BC de manter poder de compra

Da Redação ·
Em meios a críticas do mercado financeiro quanto à comunicação do Banco Central, o diretor de Política Econômica do BC, Carlos Hamilton, abriu a entrevista à imprensa do relatório de inflação fazendo uma introdução sobre a importância da transparência para o sistema de metas de inflação. Segundo ele, o BC tem zelo especial pela comunicação. Hamilton citou todos os documentos oficiais e entrevistas que o BC concede e destacou que a elaboração do Relatório de Inflação representa um esforço de todo o Banco Central. "Em particular dos nossos colegas da diretoria de política econômica", disse. Segundo o diretor, o esforço de análise e confecção do relatório é coletivo, de todos os servidores. Mas, ponderou, que a palavra final é da diretoria colegiada do BC. "O conteúdo do relatório de inflação é de responsabilidade dos membros do Copom", insistiu. O diretor fez questão de ressaltar que a missão do BC é assegurar estabilidade do poder de compra da moeda e um sistema financeiro sólido e eficiente. Crescimento sustentável Segundo Hamilton, a experiência internacional e a teoria econômica apontam que inflação baixa e estável é uma condição prévia para o crescimento sustentável. "Com inflação elevada, temos maior prêmio de risco, baixa confiança, horizonte de planejamento curto e pouco investimento", citou. "Em geral, nós temos menos emprego, menos renda e menos consumo", continuou. "E, com inflação, elevada, temos mais concentração renda, menos crescimento e redução do bem-estar", finalizou. A experiência brasileira ratifica essa visão, na opinião do diretor. Durante sua apresentação, ele apresentou um quadro dividido em quatro grupos. O primeiro vai de 1980 a 1985, quando a inflação média anual foi de 147,1% e o crescimento do PIB de 2,6%. No segundo (1986-1994), a inflação foi de 842,5% e o PIB de 2,3%. No terceiro, de 1995 a 2003, a inflação foi de 9,1% e o PIB cresceu 2,2% e, no quarto, que vai de 2004 a 2012, a inflação média foi de 5,5% e o PIB, de 3,9%. "Temos um período de inflação bastante elevada. Nos três subperíodos em que a inflação foi maior foi quando economia cresceu menos", concluiu, citando que o ritmo mais forte de crescimento ocorreu de 2004 a 2012. Hamilton declarou ainda ser plausível afirmar que outras ações de política monetária poderão ser necessárias.
continua após publicidade