Economia

Desemprego na RMSP é o menor em 23 anos, diz Dieese

Da Redação ·
Mesmo com o crescimento de 10% para 10,3% entre janeiro e fevereiro, a taxa de desemprego na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) ainda é a menor para o mês dos últimos 23 anos, segundo Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) e o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). A menor taxa é a de 8,1%, de fevereiro de 1990. No ano passado, a taxa ficou em 10,4%. O destaque na RMSP em fevereiro foi o desemprego no ABC, de 9,5%, o menor desde que o indicador foi incluído na PED, em 1998. Segundo o coordenador da PED da Fundação Seade, Alexandre Loloian, o crescimento na taxa de desemprego em fevereiro é natural. "Normalmente, não se contrata no início do ano, ao contrário, demite-se gente", explicou. Na avaliação dele, o setor de serviços, após os ajustes iniciados em novembro, pode voltar a crescer. A indústria de transformação segue como a vilã na criação de empregos em termos anualizados, com uma redução de 72 mil postos, ou queda de 4,1% ante fevereiro de 2012. Foi o único setor com desempenho negativo. "Dos 67 mil postos fechados na indústria entre janeiro e fevereiro, 40 mil foram de postos na indústria metal-mecânica, queda de 6% no subsetor", ressaltou Loloian. Se consideradas as sete regiões metropolitanas analisadas, a indústria de transformação também foi o único setor com desempenho negativo anualizado no nível de ocupação, com uma redução de 16 mil pessoas, ou 0,5%, queda puxada principalmente pelo desempenho ruim do setor na RMSP no ano passado. O Seade e o Dieese informaram ainda que revisaram a base da População Economicamente Ativa (PEA) desde agosto de 2010, a partir do Censo daquele ano. Com isso, houve uma redução linear na PEA, para 10,813 milhões em fevereiro, uma queda de 200 mil pessoas se comparada ao número anterior.
continua após publicidade