Economia

Rússia vai estudar impacto de ajuda para o Chipre

Da Redação ·
O primeiro-ministro da Rússia, Dmitry Medvedev, descreveu nesta segunda-feira o acordo de resgate para o Chipre como um "roubo" que poderá ter repercussões para a indústria bancária mundial. Segundo Medvedev, a Rússia precisa estudar cuidadosamente as consequências do plano, que vai causar fortes perdas para correntistas de bancos cipriotas com depósitos superiores a 100 mil euros. "Na minha opinião, eles continuam a saquear o espólio, então é necessário entender qual será a história toda e quais são as implicações para os sistemas financeiro e monetário internacionais", disse o premiê, segundo agências russas. O presidente russo, Vladimir Putin, ainda não fez comentários públicos sobre o acordo. As contas russas respondem por uma boa parte dos depósitos em bancos cipriotas e autoridades em Moscou reagiram com indignação a um plano inicial, anunciado na semana passada, de estabelecer um imposto sobre todos os correntistas. O Chipre chegou a negociar com a Rússia na semana passada, mas nenhum acordo de ajuda foi fechado. As informações são da Dow Jones.
continua após publicidade