Economia

Sulamérica: inflação deve ultrapassar teto em março

Da Redação ·
Sulamérica: inflação deve ultrapassar teto em março
fonte: Reprodução
Sulamérica: inflação deve ultrapassar teto em março

A inflação acumulada em 12 meses deve ultrapassar, em março, o teto da meta estabelecida pelo Banco Central (BC), na opinião do economista-chefe da SulAmérica Investimentos, Newton Rosa. O centro da meta definida pelo BC é de 4,5%, com intervalo de tolerância de dois pontos porcentuais para mais ou para menos. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ficou em 0,60% em fevereiro, após registrar 0,86% em janeiro. A taxa acumulada em 12 meses passou em 6,31%.


"O avanço de fevereiro surpreendeu, foi maior do que esperávamos. Como estimamos para março uma taxa de 0,47%, já neste mês (a inflação acumulada em 12 meses) deve ultrapassar o teto da meta, chegando a 6,59%." Ele afirmou que o resultado verificado no segundo mês do ano mostra um quadro de inflação bastante preocupante. "A inflação não é pontual nem temporária: é consistente", disse, lembrando que a alta dos preços está disseminada. Diante disso, o economista afirmou que o Comitê de Política Monetária (Copom) pode elevar a taxa básica de juros (Selic) já na próxima reunião, em abril.


Rosa notou que em fevereiro o grupo alimentação desacelerou em relação a janeiro, mas ele esperava que os produtos in natura já estivessem contribuindo mais para segurar os preços dos alimentos. "Os in natura continuam pressionando, mantêm resistência", disse. Ele acredita que, em março, haverá uma redução maior do grupo alimentação e, ao mesmo tempo, uma diminuição da alta da gasolina.


O economista também observou que o grupo Educação, que pressionou o IPCA em fevereiro devido ao reajuste das mensalidades escolares, vai desaparecer em março. Mesmo assim, Rosa acredita que o nível de inflação continuará elevado. Ele disse que há alguns fundamentos que impedem que a inflação desacelere, como o nível de renda salarial, resultado do mercado de trabalho robusto. Além disso, Rosa afirmou que o consumo ainda está forte e lembrou que a inflação do setor de serviços gira em torno de 1,30% ao mês.

continua após publicidade