Economia

Ranking-Bloomberg - (Atualizada)

Da Redação ·

Eike é ultrapassado por Safra e vira 4º mais rico do Brasil SÃO PAULO, SP, 6 de fevereiro (Folhapress) - Após ver sua fortuna diminuir US$ 10,1 bilhões em 2012 e perder o posto de homem mais rico do país para Jorge Paulo Lemann, o empresário Eike Batista agora foi ultrapassado pelo banqueiro Joseph Safra e caiu para a 4ª colocação entre os brasileiros. Segundo o ranking da Bloomberg, ele está atrás do empresário Jorge Paulo Lemann (37º do ranking, com fortuna estimada em US$ 19,1 bilhões), da empresária Dirce Camargo (64ª, com US$ 14,1 bilhões) e do banqueiro Joseph Safra (86º, com US$ 12 bilhões). Depois de dizer em maio de 2011 que seria o homem mais rico do mundo e chegar a ser o 7º do ranking da "Forbes" em 2012, uma série de acontecimentos negativos com suas empresas fez a fortuna do empresário despencar. Quando disse que seria o número 1 do mundo, Eike tinha uma fortuna avaliada em US$ 30 bilhões e afirmou que precisava "competir com o sr. Slim [o mexicano Carlos Slim, que liderava o ranking na época e continua em 1º]". "Não sei se vou ultrapassá-lo pela direita ou pela esquerda, mas vou passá-lo", disse o empresário. Hoje, Eike ocupa apenas a 93ª posição, com uma fortuna avaliada em US$ 11,4 bilhões, e está a apenas US$ 600 milhões de deixar o ranking da Bloomberg, que mostra apenas os cem homens mais ricos do mundo. Ele chegou a ocupar a 7ª posição em março de 2012. Slim permanece na liderança e tem uma fortuna de US$ 78,4 bilhões, quase seis vezes mais que o empresário brasileiro. Brasileiros Homem mais rico do Brasil segundo o ranking da Bloomberg, Lemann é controlador da Anheuser-Busch InBev, maior cervejaria do mundo e que no país é conhecida como Ambev e detém as marcas Brahma, Skol, Antarctica, Original, Bohemia, Budweiser e Stela Artrois, entre outras. Dirce Camargo é controladora da empreiteira Camargo Correa, Joseph Safra é o único dono do banco Safra e o banqueiro mais rico do país e Eike Batista é presidente-executivo da holding EBX, grupo que controla várias empresas de logística e commodities, como OGX, OSX, MMX e CCX.  

continua após publicidade