Economia

Marcado projeta reação mais forte da economia em 2014

Da Redação ·
O mercado financeiro começa a enxergar uma reação da economia brasileira mais forte no próximo ano, segundo o relatório de mercado Focus, divulgado nesta segunda-feira pelo Banco Central. A mediana das projeções para o Produto Interno Bruto (PIB) subiu de 3,65% para 3,70%. Apesar de ser a segunda semana consecutiva de alta para o crescimento do País em 2014, a taxa esperada ainda é inferior do que a vista há um mês, quando estava em 3,75%. Para 2013, não houve alterações na mediana das projeções para o PIB, que seguiu em 3,10%. Quatro semanas atrás, porém, a expectativa era de que o Brasil cresceria 3,26% este ano. Ainda que as projeções para o PIB de 2013 tenham se mantido estáveis, os analistas consultados pelo Banco Central preveem uma expansão maior para o setor manufatureiro este ano. De acordo com a Focus, a produção industrial deve crescer 3,17%. Na semana anterior, a previsão era de uma alta de 3,10%. Para 2014, a mediana das previsões seguiu em 3,70%, patamar mais baixo do que visto há um mês, quando estava em 3,75%.

Focus: câmbio para fim de 2013 cai de R$ 2,07 para R$ 2,05 -


Quanto ao dólar, com as seguidas quedas da moeda norte-americana atualmente, o mercado financeiro revisou para baixo suas estimativas para a cotação da moeda neste e no próximo ano. A expectativa é de que o câmbio feche 2013 em R$ 2,05, e não mais em R$ 2,07, como visto na semana anterior.


Para 2014, o movimento foi similar: os economistas revisaram suas estimativas para o câmbio no final do ano. A mediana passou de R$ 2,09 para R$ 2,07 agora. Apesar disso, a taxa ainda segue mais elevada do que a esperada há um mês (R$ 2,05).


Inflação também cai


Os analistas do mercado financeiro também promoveram mais uma rodada de redução de suas apostas para o IGP-M e o IGP-DI de 2013. Segundo o Focus, o IGP-DI deve fechar este ano em 5,16%, e não mais em 5,19%, como esperavam na semana anterior. Há um mês, a mediana das projeções para esse índice estava em 5,37%. Para 2014, não houve alteração das expectativas, já que a mediana se manteve em 5,00%. Há 26 semanas, os analistas esperam essa taxa de inflação para o ano que vem.


No caso do IGP-M de 2013, a mudança foi ainda mais significativa: passou de 5,26% para 5,09%. Vale lembrar que há um mês esse mesmo grupo aguardava uma inflação de 5,31% para o final deste ano. Para 2014, no entanto, foi feito um ajuste para cima. No lugar da taxa de 5,18% aguardada na semana passada, agora a mediana está em 5,19%.


No cálculo da inflação para o consumidor, o mercado projeta que o IPC-Fipe encerrará 2013 em 5,07%. A taxa é bem mais alta do que a verificada na semana passada (4,96%) e também do que a esperada há um mês (4,88%). Para 2014, porém, houve diminuição das projeções de 5,00% esperada na semana passada e também há um mês para 4,95% agora.


Também para os preços do grupo de serviços e produtos monitorados ou administrados pelo governo, o mercado financeiro aumentou suas estimativas. No lugar de uma alta de 3,20% prevista na semana passada, os analistas acreditam em uma elevação de 3,25%.

continua após publicidade