Economia

Despesa do Santander com inadimplentes aumentou 40% em 2012

Da Redação ·

Por Maria Paula Autran SÃO PAULO, SP, 31 de janeiro (Folhapress) - O Santander registrou aumento de 39,8% em 2012 nas despesas com provisão para devedores duvidosos -espécie de colchão que os bancos fazem para casos de calote- enquanto o crescimento da carteira de crédito foi de 7,6%. O resultado do chamado PDD têm peso importante no lucro das instituições financeiras. O lucro líquido do banco foi de R$ 2,692 bilhões em 2012, cerca de 24% menor do que o registrado no acumulado de 2011. Segundo o presidente da instituição no Brasil, Marcio Portela, em uma situação normalizada, o PDD tende a crescer no mesmo nível do crédito. Mas com o aumento da inadimplência no ano passado, o PDD acabou sendo bastante impactado. De acordo com Portela, o cenário de crédito, no ano passado, teve uma composição diferente do normal -com mais crescimento no cartão de crédito e rotativo do que em outras modalidades que têm spreads inferiores. O spread é a diferença entre o custo de captação das instituições financeiras e a taxa cobrada ao cliente final. O PIB abaixo das expectativas também contribui. Portela afirmou que considera o lucro razoável em um cenário de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) abaixo das expectativas e de queda acentuada na taxa básica de juros do país. Na carteira de crédito, ele disse que o banco espera crescimento de acordo com o desempenho da indústria, de cerca de 15% e tem expectativa de queda da inadimplência para pessoa física já no primeiro semestre de 2012, mas não informou de quanto. Pequenas e médias O presidente afirmou que faz parte da estratégia do banco para 2013 crescer no segmento de pequenas e médias empresas. O setor, no entanto, apresentou alta da inadimplência de 17%. De acordo com Portela, apesar do crescimento da inadimplência, o setor de pequenas e médias empresas tem uma equação de rentabilidade muito boa e apresenta "alegrias maiores em um ciclo maior". A inadimplência total cresceu de 4,5% para 5,5% no ano passado ante o ano anterior, crescimento de um ponto percentual. A inadimplência de pessoa física subiu de 6,8% para 7,8%. Participação do Brasil O Brasil representa hoje 26% do banco no mundo. A Europa Continental corresponde a 27%, outros países da América Latina a 24%, o Reino Unido a 13% e os Estados Unidos a 10%. "Hoje, o grupo Santander mundial é mais o grupo brasileiro do que qualquer outro país", afirmou o presidente". Segundo Portela, a participação do país poderia ser ainda maior, se não fosse o fraco crescimento do PIB e a inadimplência. A expectativa é que a participação fique entre 26% e 30% em 2013, já que o banco espera crescimento da economia brasileira.  

continua após publicidade