Economia

MT inicia colheita de safra recorde de soja; RS faz plantio

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 28 de dezembro (Folhapress) - A colheita de uma safra de soja estimada para ser recorde em Mato Grosso já começou, afirmaram hoje representantes dos agricultores no Estado, o maior produtor brasileiro da oleaginosa. O volume colhido até o momento, no entanto, ainda é pequeno, disseram à Reuters o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) e um diretor da Aprosoja-MT, entidade que reúne os produtores de soja. Tradicionalmente, Mato Grosso é um dos primeiros Estados a iniciar a colheita de soja no Brasil. Pelas informações preliminares, o total colhido está dentro do registrado no mesmo período do ano passado. Não é possível estimar um percentual de colheita nesta fase inicial, segundo os representantes das entidades. "Tem gente colhendo, muito pouca [colheita], mas já tem colheita. Dois amigos estão colhendo, mas não me falaram a produtividade, já que está muito no início", disse o presidente da Famato, Rui Prado, falando pelo celular em sua lavoura em Campo Novo do Parecis, na região central do Estado. Prado disse estar preocupado com a falta de chuva nos últimos dias na região do médio-norte. "Tem nuvem no céu, mas está chovendo pouco. Falei com amigo em Sorriso [principal município produtor de soja do Brasil], está ruim de chuva", afirmou. Ele disse que a recente escassez de umidade não representa um problema. "Não está indicando perda não, estamos acreditando que a safra vai ser boa." O Estado deverá colher uma safra recorde, segundo estimativa do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). Pela previsão do órgão de análise de mercado da Famato, a produção de Mato Grosso atingirá 24,13 milhões de toneladas na safra 2012/13, crescimento de 13 por cento ante a temporada anterior. "As primeiras notícias de áreas de colheita foram em 24 de dezembro. Nos primeiros dias de janeiro vai aumentar a colheita", disse o diretor da Aprosoja-MT na região leste, Endrigo Dalcin, observando que na sua área o trabalho ainda não começou, até porque houve replantio das primeiras áreas plantadas em função do tempo seco. Mas ele destacou que na Região Oeste e no Norte do Estado alguns produtores já estão colhendo. "Está praticamente o mesmo percentual de colheita do ano passado." Considerando a estimativa do Imea e última previsão oficial da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para a safra nacional, Mato Grosso deverá responder por cerca de 30% da colheita nacional. A Conab estima a produção brasileira em um recorde de 82,6 milhões de toneladas. Na temporada passada (2011/12), o Brasil produziu 66,3 milhões de toneladas de soja, tendo sua colheita afetada por problemas climáticos, especialmente no Sul. Na temporada atual, produtores ampliaram o plantio por conta dos altos preços no mercado internacional, após uma quebra de safra nos EUA, tradicionalmente os principais produtores globais de soja. Sul Já no Rio Grande do Sul, o plantio da safra de soja está praticamente finalizado, com 97% das lavouras na fase de desenvolvimento vegetativo, segundo boletim divulgado pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater/RS), em parceria com a Associação Sulina de Crédito e Assistência Rural (Ascar). Na Fronteira Noroeste e nas Missões, configura-se uma "safrinha" da soja. Nessas regiões, aproximadamente 3% da área total a ser semeada com a leguminosa têm seu início em janeiro de 2013 -após o período recomendado pelo zoneamento agroclimático-, pois o microclima tropical dos municípios costeiros ao Rio Uruguai favorece a semeadura nesta época, sobre o milho plantado em final de julho. As temperaturas elevadas e a umidade excessiva têm propiciado condições para o surgimento de pragas nas lavouras de soja, como lagartas e percevejos, mantidas sob controle pelos produtores. Assim como a soja, as lavouras de milho -que se encontram em fase de floração e enchimento de grãos- apresentam aspecto fitossanitário e potencial produtivo satisfatórios. As cotações também são favoráveis para os produtores, segundo a Emater/RS. Por outro lado, entre os produtores de leite e suínos, continua grande a procura por milho balcão (ofertado pelo governo) para ser utilizado como ração. A semeadura do arroz também foi concluída no Estado, com a cultura em fase de germinação e desenvolvimento vegetativo. Em relação aos preços da saca de 50 quilos, foi registrada queda de 1,17% em relação à semana anterior, a R$ 36,32. Em relação às criações, o rebanho de corte apresenta bom estado nutricional, com os produtores dedicando-se ao controle de parasitas, cuja multiplicação tem sido favorecida pelas atuais condições climáticas. O rebanho leiteiro também está em boas condições, beneficiado pelo excelente desenvolvimento das pastagens, tanto nativas como cultivadas. A maior incidência de carrapatos, verminoses e moscas-do-chifre tem deixado os produtores em alerta. Em alguns casos, o calor intenso tem causado desconforto e afetado a performance dos animais.  

continua após publicidade