Economia

Índice de confiança recua em dezembro

Da Redação ·





Por Thiago Santos

SÃO PAULO, SP, 17 de dezembro (Folhapress) - O fim das encomendas das festas de final de ano e o ainda lento processo de recuperação da atividade reduziram a o otimismo dos empresários da indústria em dezembro.

O Icei (Índice de Confiança do Empresário Industrial), medido pela CNI (Confederação Nacional da Indústria), caiu para 57,4 pontos em dezembro -redução de um ponto em relação a novembro.

O indicador revela a expectativa dos empresários sobre a economia, o que pode influenciar investimentos. A pontuação varia de 0 a 100. Valores acima de 50 apontam empresários confiantes.

Segundo a confederação, queda de confiança em dezembro deste ano foi mais significativa do que nos dois anos anteriores. A média histórica do Icei em dezembro é de 59,3 pontos.

De acordo com a pesquisa, o índice ficou estável na indústria da construção e na indústria extrativa. Já na indústria de transformação, o índice caiu em 19 dos 28 setores pesquisados.

Os empresários da indústria de grande porte são os mais otimistas --o Icei ficou em 58,2 pontos. Na indústria de médio porte, o índice é de 57, e nas pequenas empresas a confiança é mais baixa, de 56,1 pontos.

Na análise por regiões, a indústria está mais confiante no Nordeste. O índice chegou a 61 pontos na região, que é seguida pelo Centro-Oeste (59), pelo Sul (57,4), pelo Norte (55,5) e pelo Sudeste (53,8).

Além da confiança, o índice verificou a percepção dos empresários da indústria a respeito das condições atuais de mercado. Essa percepção passou a ser neutra em dezembro ao recuar para 50 pontos.

O índice é composto tanto pela percepção sobre as condições da economia brasileira e como das empresas. Em relação à economia, o índice, que já estava abaixo dos 50 pontos, caiu ainda mais para 46,7. Já quanto às empresas, a confiança chega a 51,8 pontos.

A pesquisa do Icei foi realizada entre 3 e 13 de dezembro com 2.319 empresas -das quais 815 são de pequeno porte, 917 médias e 587 grandes.
 

continua após publicidade