Economia

Movimento em shopping e na 25 de Março aumenta, mas ficará ainda maior

Da Redação ·





Por Thiago Santos

SÃO PAULO, SP, 16 de dezembro (Folhapress) - Os lojistas dos shoppings e da região da rua 25 de Março, na capital paulista, já começaram a faturar mais com as vendas de Natal, mas a expectativa é que o movimento aumente mais nesta semana, com a aproximação do feriado.

De acordo com a Abrasce (Associação Brasileira de Shoppings Centers), as vendas deverão aumentar 15% neste mês em relação ao mesmo período do ano passado. Cosméticos, telefonia, brinquedos, roupas e tênis devem liderar a lista de compras natalinas, segundo a associação.

Os vendedores ouvidos pela reportagem nos shoppings Paulista e Higienópolis afirmaram que, com o horário ampliado de atendimento, o movimento já se aqueceu. O grande volume de compradores, no entanto, é aguardado para o fim de semana que antecede o Natal.

O servidor federal André Barbosa Filho, 61, viajou de Brasília a São Paulo para passar o Natal com a família e aproveitou para fazer as compras na capital paulista. "Barato não está, mas em São Paulo o preço dos produtos é menor", disse Barbosa.

Ele quer se antecipar à correia da véspera de Natal. "Estou na cidade há alguns dias, mas já vejo que os shoppings estão mais cheios", afirmou o funcionário público. Na sua lista de compras estão livros, notebooks e brinquedos educativos para os netos.

Consumidores de outras cidades invadem a capital paulista nessa época. O marceneiro Marcelo Diniz, 33, e sua esposa, a merendeira Suzamara Diniz, 31, embarcaram em uma excursão da cidade de Tabatinga (331 km da capital paulista) apenas para fazer compras na 25 de Março.

"O preço é mais em conta e a variedade de produtos é maior", disse o marceneiro. Uma boneca que custava R$ 95 em uma das lojas de sua cidade foi encontrada por Diniz por R$ 29. Os brinquedos e as roupas são as compras favoritas do casal.

Os enfeites de Natal foram bastante procurados na 25 de Março. Na Armarinhos Universal, os estoques de cascatas de LED, árvores de Natal e bolas foram os campeões de venda e tiveram que ter os estoques repostos.

A Univinco, que representa os lojistas da região, espera um aumento de 8% nas vendas neste mês em relação ao ano passado.
 

continua após publicidade