Economia

Desvalorizar o câmbio traz inflação, não competitividade, diz Tombini

Da Redação ·

Por Mariana Schreiber BRASÍLIA, DF, 11 de dezembro (Folhapress) - Em mais um recado de que o Banco Central não deseja uma alta muito acentuada do dólar no momento, o presidente do BC, Alexandre Tombini, disse que uma desvalorização do câmbio com impacto na inflação não serve para elevar a competitividade do país. Diante dos sinais fracos de retomada da economia, o mercado financeiro passou a acreditar no desejo do governo de ver o real mais desvalorizado para favorecer a indústria local. Desde a semana passada, no entanto, o governo já tomou algumas medidas para segurar a alta do dólar. Além disso, autoridades do BC passaram a dar declarações públicas e pedindo anonimato de que a moeda americana está muito valorizada ante o real. "Em nada adianta termos um cambio nominal", disse Tombini, "se aquilo que se ganha com a desvalorização do câmbio, se perde com inflação. Não se ganha competitividade." O presidente do BC, ao explicar o efeito do câmbio sobre a inflação, fez questão de ressaltar que ter um câmbio nominal desvalorizado "certamente não é o objetivo do Banco Central". "É importante que qualquer movimento [de desvalorização do real] que tenha ocorrido seja preservado com controle da inflação", reforçou Tombini.  

continua após publicidade