Economia

Primeira montadora chinesa faz cidade aprender mandarim

Da Redação ·





Por Filipe Oliveira

SÃO PAULO, SP, 8 de dezembro (Folhapress) - Nascido há 20 anos em São José dos Campos (SP), Eric Durgomeister sempre morou em Jacareí, a 84 km da capital paulista. Há um ano, no entanto, a cultura chinesa começou a entrar em seu cotidiano de um modo que ele não imaginava.

A cidade, de cerca de 200 mil habitantes, está em uma região de tradição industrial.

Enquanto Jacareí se destacava por indústrias dos setores de vidros, celulose e bebidas, suas vizinhas no Vale do Paraíba --São José dos Campos e Taubaté-- já possuíam montadoras de veículos.

Um ciclo de investimentos, porém, começa a movimentar Jacareí, trazendo a primeira montadora à cidade. Ela será, também, a primeira montadora chinesa no país.

Anunciada em 2011, a fábrica da Chery começará a produzir automóveis em 2013. Da área de cerca de 1 milhão de m , metade deverá ser utilizada pela fábrica e metade por fornecedores de autopeças da cadeia de veículos.

Também chegam à cidade a fabricante de equipamentos pesados chinesa Samy e a espanhola Teknia Tecnotubo, do setor automotivo.

Juntas, as chinesas dedicarão US$ 600 milhões aos projetos. Segundo a prefeitura, esses e outros investimentos devem contribuir para a abertura de 6.800 empregos diretos em cinco anos.

Segundo Ricardo de Souza Ésper, diretor titular da Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) em Jacareí, a chegada da Chery coroa um momento de expansão da cidade, que também passa pelo crescimento das indústrias já instaladas.

Entre elas, destaca-se a Sebrace, do setor vidreiro, que ampliará suas instalações em aproximadamente 30%, e fábricas da Ambev e da Heineken. Para Ésper, existe mão de obra qualificada na cidade para atender à Chery, pois muitos moradores já trabalhavam em montadoras das cidades vizinhas.

Acompanhando a indústria, o comércio e o setor de serviços também crescem. Entre os estabelecimentos inaugurados nos últimos anos destacam-se o primeiro shopping da cidade, e unidades da Dicico, das Lojas Americanas e oito supermercados, incluindo o Walmart.

Mandarim

Para qualificar os profissionais, em 2011 a prefeitura começou a oferecer 82 cursos de formação profissional pelo programa EducaMais.

O curso de mandarim, com 139 vagas, tem fila de espera de 280 alunos para 2013. Com a chegada de duas novas professoras chinesas, o número de turmas deve aumentar.

Depois de concluir curso técnico em mecatrônica, Eric Durgomeister resolveu estudar línguas. Foi quando surgiram as aulas de mandarim, idioma que nunca tinha pensado em estudar.

Ele frequenta as aulas semanalmente desde o início dos cursos. Diz que já tem um nível básico na língua, que considera difícil.

O estudante gostaria de trabalhar na montadora, mas essa não é a única possibilidade em vista. "Quem falar mandarim vai ter muitas oportunidades", diz.

Após conseguir uma bolsa para passar 23 dias na China, ele sonha em ter a oportunidade de um intercâmbio de pelo menos seis meses.

Para morar, no entanto, ele quer continuar em Jacareí --se a cidade oferecer boas oportunidades, diz.
 

continua após publicidade