Economia

Não está definido como corte na conta chegará a 20%, diz Mantega

Da Redação ·

Por Mariana Schreiber BRASÍLIA, DF, 6 de dezembro (Folhapress) - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse hoje que "ainda não está definido" como o governo usará recursos do Tesouro Nacional para garantir a queda de 20% em média do preço da energia no próximo ano. Mais cedo, a presidente Dilma Rousseff afirmou que o governo fará um imenso esforço para alcançar a redução prometida em setembro, apesar de geradoras de quatro Estados (SP, MG, PR, SC) não terem aderido à proposta do governo federal. "Tivemos não-colaboradores nessa questão. Eles deixam em seu rastro uma falta de recursos. Essa falta de recursos será bancada pelo Tesouro do governo federal", reforçou. Questionado sobre como isso seria feito, ao chegar ao Ministério da Fazenda nesta tarde, Mantega disse apenas: "Não, não está definido". Ontem, ele disse que há pouco espaço fiscal para usar recursos do Tesouro na operação. Perdas Segundo cálculos das companhias de energia de São Paulo, Minas Gerais, Paraná --governados pelo PSDB, principal adversário político do governo federal-- e Santa Catarina, a renovação das concessões pelas regras estabelecidas pelo governo trariam perdas de pelo menos R$ 8 bilhões. Enfática, Dilma destacou que a "hora de prorrogar [as concessões] passou. A hora agora é de devolver. Nós vamos devolver", prometeu. A presidente disse que o governo fará um imenso esforço e que o remanejamento de repasses para custear a redução das contas não será trivial.  

continua após publicidade