Economia

Índice de serviços tem maior taxa desde janeiro, vê Fipe

Da Redação ·
O Índice Geral de Serviços (IGS) subiu 0,59% na cidade de São Paulo em outubro, divulgou nesta segunda-feira a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). A taxa do indicador foi mais de quatro vezes superior à variação positiva de 0,13% em setembro e o maior resultado desde janeiro, quando avançou 1,02%, em um período marcado pelo reajuste de mensalidades escolares. A despeito da aceleração observada ante setembro e da marca alcançada, a taxa do IGS manteve a tendência dos recentes anúncios da Fipe e continuou abaixo do resultado do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) do período, que também é apurado pela Fipe. A taxa deste último indicador passou de 0,55%, em setembro, para 0,80%, em outubro, e atingiu o maior nível desde janeiro de 2011 (1,15%). Entre os grupos de destaque dentro do IGS, os de Despesas Pessoais e de Alimentação foram os que apresentaram avanços mais expressivos. O primeiro subiu 1,07% ante queda de 1,16% em setembro. O segundo mostrou elevação de 1,05% ante baixa de 0,62%. Quanto aos demais conjuntos de preços, a maioria ficou no terreno positivo: Habitação (0,67% ante 0,29%); Saúde (0,33% ante 0,99%); e Transportes (0,31% ante 0,33%). O grupo Educação apresentou variação zero em outubro, a mesma de setembro. Para o coordenador do IPC, Rafael Costa Lima, que também é o responsável pelo IGS, a diferença de comportamento entre os grupos vilões de outubro ante setembro tem ligação com o movimento específico de alguns itens importantes. No caso da Alimentação, que é composta por um único item (Alimentação Fora do Domicílio), apenas repetiu a variação do componente, que agora reflete os aumentos mais intensos recentes de itens industrializados, semielaborados e in natura. "Também tivemos uma promoção de uma rede de lanchonetes em setembro que foi saindo aos poucos das pesquisas em outubro", lembrou. Quanto ao grupo Despesas Pessoais, Costa Lima destacou o comportamento dos itens Viagem (excursão) e Passagem Aérea. O primeiro saiu de uma queda de 3,08% em setembro para um avanço de 4,65% em outubro. O segundo saiu de uma baixa de 7,22% para uma declínio menos expressivo, de 2,19%. O IGS representa 45,485% do IPC tradicional da Fipe e aproveita as mesmas variações de itens do índice. Enquanto o indicador geral é dividido em sete grupos, o índice restrito de Serviços é composto por seis, já que Vestuário não entra na classificação.
continua após publicidade