Economia

Bolsa decepciona, mas fundos da Vale lideram ranking mensal

Da Redação ·





Por Toni Sciarretta

SÃO PAULO, SP, 31 de outubro (Folhapress) - No mês em que a Bolsa decepcionou e que os juros do governo desceram a 7,25%, os fundos de privatização que aplicam nas ações da Vale foram as melhores aplicações.

Esses fundos subiram 4,62% seguindo a recuperação das ações da mineradora com as perspectivas de aumento no consumo e nos preços dos minérios em 2013.

Os fundos de privatização englobam aqueles que aplicaram recursos do FGTS de trabalhadores, mas também os abertos a qualquer investidor. No ano, os fundos Vale ainda têm baixa de 1,87%.

Já os fundos Petrobras, que são da mesma família, tiveram baixa de 1,85% em outubro, conservando uma valorização de 0,76% no ano.

Em outubro, a Bolsa teve queda de 3,56% no Ibovespa. Foi o primeiro mês negativo após três meses de lenta recuperação.

Outubro foi o mês em que o foco da crise europeia chegou à Espanha, com dúvidas sobre socorro ao país e aos bancos locais, mas também de sinais positivos de recuperação nos EUA e de desaceleração suave na China e no Brasil.

"Começa a surgir sinais de que podem dar alento à Bolsa, mas as incertezas continuam", disse Newton Rosa, economista da SulAmerica.

"É difícil saber se haverá recuperação na Bolsa ainda neste ano, mas podemos ter surpresas e o Ibovespa empatar com os juros do governo", disse Pedro Galdi, da SLW.

Renda fixa

A boa notícia é que a inflação pelo IGP-M desacelerou de 0,97% para 0,02% de setembro para outubro, deixando as aplicações em renda fixa com ganho real. Mas o IPCA de outubro, que deve sair nos próximos dias, deve ficar em 0,56%, segundo previsão do mercado.

A chamada nova poupança rendeu 0,43% líquido em outubro, permanecendo imbatível para os pequenos aplicadores que pagam taxas de administração acima de 1% nos fundos dos bancos.

Os fundos DI renderam apenas 0,53% bruto --de 0,41% a 0,45% líquido dependendo do prazo do resgate e do Imposto de Renda.

Além de boa parte desses fundos perder para a poupança, esses fundos também não cobrirão a inflação esperada de 0,56% do IPCA.

Já os fundos de renda fixa renderam 0,61% a 0,67% líquido, dependendo da alíquota do Imposto de Renda. Esses fundos tiveram retorno bastante acima dos fundos DI porque aplicam em papéis prefixados, que conservam taxas de juros antigas e superiores à dos papéis emitidos nos últimos meses pelo Tesouro.

O dólar praticamente empatou com o mês passado, ficando R$ 2,03, com alta de 0,10%. No ano, a moeda subiu 8,61%.
 

continua após publicidade