Economia

Execução fiscal foi menos favorável em 2012, diz BC

Da Redação ·
O chefe do departamento econômico do Banco Central, Túlio Maciel, admitiu nesta terça-feira que o cenário fiscal de 2012 é menos favorável do que o de anos anteriores e reconheceu que o governo poderá usar o abatimento dos investimentos, como o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), para atingir a meta cheia de superávit primário prevista para 2012. Até setembro, a economia do setor público consolidado chegou a R$ 75,816 bilhões, enquanto a meta do ano é de R$ 139,8 bilhões. "É possível alcançar a meta deste ano, e o BC trabalha com o cumprimento da meta considerando a possibilidade do abatimento dos investimentos", avaliou. Segundo Maciel, a economia brasileira já mostra recuperação no terceiro trimestre do ano, o que deve ter impacto positivo na arrecadação dos meses à frente. "É importante frisar que o cenário considera a possibilidade de ajuste em 2012, mas para o próximo ano o BC prevê o cumprimento da meta cheia sem abatimentos", completou. Para Maciel, o fraco resultado fiscal deste ano reflete a "moderação significativa da atividade econômica" desde a segunda metade do ano passado até a primeira metade deste ano. "As receitas do setor público também foram afetadas pelas medidas de estímulo à atividade tomadas nos últimos meses, como desoneração da folha de pagamento e de outros tributos. E finalmente temos de destacar o crescimento de 23% nos investimentos em relação ao mesmo período do ano passado", concluiu.
continua após publicidade