Economia

Preso nos EUA, por fraude, homem que processou Facebook

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 27 de outubro (Folhapress) - Foi preso ontem nos EUA, acusado de fraude, um homem que moveu ação judicial contra o Facebook e seu presidente, Mark Zuckerberg. Em processo arquivado em 2010, Paul Ceglia, 39, afirmava ter assinado um contrato com Zuckerberg em 2003 para que o então estudante de Harvard desenvolvesse uma rede social, que mais tarde se tornou o Facebook, por US$ 1.000. Em troca desse valor, de acordo com Ceglia, este teria direito à propriedade parcial do produto. Ceglia apresentou como prova um contrato de duas páginas assinado por ele e Zuckerberg e uma série de e-mails trocados entre os dois para negociar os termos do acordo. Agora, investigadores afirmam que as evidências são falsas. O verdadeiro contrato foi descoberto no disco rígido do computador de Ceglia e dizia que Zuckerberg havia concordado em trabalhar em um site chamado StreetFax.com, mas o Facebook não era mencionado. Ainda segundo especialistas, há evidências de que arquivos relacionados ao contrato original tenham sido apagados e substituídos por outros. Ceglia foi preso em sua casa em Wellsville, Nova York, na manhã de ontem, sob acusação de fraudes postal e eletrônica. Cada crime tem pena máxima de 20 anos de prisão. O acusado não foi encontrado para comentar o caso. O Facebook elogiou a prisão e afirmou que pretende responsabilizar todos os que colaboraram para a fraude.  

continua após publicidade