Economia

Espanha supera 25% de desempregados, em novo recorde histórico

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 26 de outubro (Folhapress) - O desemprego na Espanha alcançou 25% da população ativa do país no terceiro trimestre deste ano, em novo recorde histórico. A informação foi divulgada hoje pelo Instituto Nacional de Estatísticas. Segundo o relatório do órgão, a taxa subiu 0,38% entre julho e setembro. Isso representa um aumento absoluto de 85 mil trabalhadores sem emprego, fazendo com que o total de desempregados chegue a 5.778.100. O número de famílias com todos os membros desempregados foi de 1.737.900, a maior taxa de toda a série histórica. No fim do segundo trimestre, a taxa de desemprego era de 24,63%. Em comparação com o mesmo trimestre de 2011, o número total de desempregados aumentou em 799.700 e chegou a 15 meses de alta consecutiva. Entre julho e setembro, o número de trabalhadores em atividade diminuiu em 96.900. Cerca de 12 mil pessoas se aposentaram no período. O índice alcançado no terceiro trimestre supera a expectativa do governo espanhol para o ano. Em julho, Madri havia estabelecido que a taxa de desemprego ficaria em 24,6%. Mais alto da UE Com os resultados divulgados hoje, a Espanha tem a taxa mais elevada de desemprego da União Europeia, cuja média é situada em 10,5% (11,4% na zona do euro). O aumento do desemprego é a consequência mais grave da crise econômica que a Espanha vive desde 2008, com a economia em recessão e fortes medidas de ajuste do governo para reduzir a dívida pública. As notícias ruins no mercado de trabalho afetam ainda mais o ambiente no país, que deve permanecer em recessão. O Banco da Espanha prevê para o terceiro trimestre uma queda do PIB de 0,4% enquanto o governo projeta um retrocesso de 1,5% para o conjunto do ano.  

continua após publicidade