Economia

População desocupada aumenta 12,8% em São Paulo

Da Redação ·
A região metropolitana de São Paulo registrou um aumento considerável na taxa de desemprego, que passou de 5,8% em agosto para 6,5% em setembro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Embora não tenha havido redução no número de vagas, houve expansão no número de pessoas à procura de trabalho. Como resultado, houve aumento também na taxa de desemprego média nacional, de 5,3% para 5,4% no período. A população ocupada permaneceu estável, com a entrada de duas mil pessoas no mercado de trabalho. No entanto, a população desocupada registrou um aumento de 12,8% no período, o equivalente a mais 76 mil pessoas procurando emprego. "O negativo desse resultado é que aumentou a taxa de desemprego e o mercado não atendeu essa demanda. O que pode estar explicando esse aumento de São Paulo, de onde está vindo essa população? Está vindo da inatividade", explicou Cimar Azeredo, gerente da Coordenação de Trabalho e Rendimento do IBGE. A população inativa, que é basicamente formada por aposentados, estudantes e donas de casa, segundo Azeredo, está voltando à atividade, voltando a procurar emprego. "Isso ocorre por algum estímulo naquela região. Pode ser pela ocorrência de obras, ou pela proximidade do fim do ano. Certamente não foi por diminuição na renda", afirmou o gerente do IBGE. A população inativa em São Paulo teve redução de 1,0% em setembro, o equivalente a menos 72 mil pessoas nessa condição. "É o maior numero de desocupados naquela região em pelo menos 12 meses. Mas não aumentou o desemprego porque fecharam vagas lá. Não é a análise correta. Aumentou foi o número de pessoas procurando trabalho", insistiu Azeredo. "Isso é contrário do desalento. As pessoas estão achando que vão conseguir emprego", acrescentou.
continua após publicidade