Economia

Índice de difusão do IPC-S mantém-se em 68,53%

Da Redação ·
A taxa do indicador de difusão do Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) ficou inalterada na terceira quadrissemana de outubro (68,53%), na contramão do índice cheio, que arrefeceu ante a segunda leitura. De acordo com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), o Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) desacelerou 0,05 ponto porcentual na terceira leitura do mês e ficou em 0,57%. Na medição anterior, a alta fora de 0,62%. Há um ano o indicador de difusão, que representa o porcentual de preços de itens em alta, estava com uma taxa menor, de 61,22%, em relação à quadrissemana em análise. No começo de outubro deste ano, contudo, o dado acelerou e ultrapassou os 70% (70,29%), mas depois perdeu força na segunda quadrissemana, para 68,53%. "O índice de difusão repetiu a taxa da quadrissemana passada. É um número alto para padrões de média histórica. Estamos vivendo um momento de pressão (inflacionária) bem generalizada, mas não é descontrolada, tampouco é um patamar desejável", afirmou em entrevista à Agência Estado. Já as taxas dos grupos industrializados (de 0,37% para 0,35%) e comercializáveis (de 0,44% para 0,41%) desaceleraram da segunda para a terceira medição de outubro. "Mas serviços continuam subindo (de 0,81% para 0,90%) e administrados, apesar de terem diminuído um pouco a alta (de 0,93% para 0,89%), estão elevados, em um nível perto de 1%", avaliou.
continua após publicidade