Economia

Aneel aprova primeira proposta de aquisição da Celpa pela Equatorial

Da Redação ·

Por Julia Borba BRASÍLIA, DF, 18 de setembro (Folhapress) - A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) aprovou hoje a primeira proposta de transição do controle da concessionária Celpa (Centrais Elétricas do Pará) para a maranhense Equatorial. Pela decisão da reguladora, ainda não está confirmada a aquisição da companhia, uma vez que esta é a primeira de uma série de discussões que ainda precisam ser feitas antes da conclusão do processo. O texto inicial, com a proposta de transição, havia sido apresentado pela Equatorial, mas sofreu alterações após ser submetido à direção da agência. Diante das mudanças, a empresa agora deverá avaliar se aceita o novo termo. Entre as modificações está a negativa da Aneel em suspender a aplicação de multas feitas durante a gestão anterior. Para a agência, todas as punições que já tiveram tramitação concluída na agência deverão ser pagas pelo próximo controlador da empresa. Caso a Equatorial não aceite as regras, as próximas interessadas em adquirir a Celpa poderão fazer uso do texto aprovado pela diretoria para balizar suas intenções e expectativas. A Aneel não informou quanto tempo a Equatorial terá para encaminhar nova manifestação de interesse. Recuperação Desde o fim de fevereiro a Celpa entrou com pedido de recuperação judicial, diante de inúmeras dificuldades financeiras. Há pouco menos de duas semanas, a companhia divulgou que a maioria de seus credores aprovou o plano de recuperação. Os 1.720 credores trabalhistas da empresa, representados pelo sindicato da categoria, acataram as propostas. O BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) e o Banco da Amazônia, credores com garantias reais, também aprovaram. Na categoria dos quirografários (credores sem garantias reais), a aprovação foi de 71,35%. Essa última categoria inclui bancos públicos e privados, prestadores de serviços e fornecedores. De acordo com o documento, o plano agradou detentores de 76% das dívidas, que somam, ao todo, R$ 2,32 bilhões. O plano de recuperação da Celpa já prevê a entrada da Equatorial Energia, grupo controlado pelo Vinci Partners que atua na região Norte. O controle seria transferido por R$ 1 e a nova sócia se comprometeria a entrar, de imediato, com R$ 350 milhões na distribuidora. Um novo aporte de R$ 350 milhões, que pode ser feito por meio de oferta de ações ou entrada de novo sócio estratégico, teria de ser feito em até dois anos. O grupo Rede Energia é o atual controlador da Celpa. Ao todo, oito distribuidoras do Grupo Rede passam por intervenção, ação aprovada pela agência reguladora.  

continua após publicidade