Economia

Portugueses protestam contra medidas de austeridade

Da Redação ·
Dezenas de milhares de portugueses protestaram neste sábado (15) contra novas medidas de austeridade que o governo tenta implementar, em meio à crise econômica. Sob o slogan "que se lixe a troica, queremos nossas vidas", multidões foram às ruas em Lisboa e outras 40 cidades. Apenas em Lisboa, segundo as emissoras de televisão, mais de 50 mil pessoas protestaram. O governo e a polícia portuguesa não deram estimativas do número de manifestantes. Os protestos deste sábado foram os maiores em Portugal desde junho do ano passado, quando o governo impôs um pacote de medidas de austeridade para conter o déficit do orçamento. Novas medidas para 2013 foram anunciadas nesta semana, o que levou aos protestos. Entre as medidas estão um arrocho fiscal para aumentar a arrecadação, cortes no setor público e um aumento nas contribuições previdenciárias para todos os trabalhadores. Economistas dizem que os funcionários públicos poderão perder dois dos catorze salários que recebem a cada ano. Empregados do setor privado poderão perder um salário. "Nossas vidas estão sendo destruídas e precisamos fazer alguma coisa", disse João Camargo, um dos organizadores da passeata em Lisboa. O ministro de Finanças, Vitor Gaspar, disse que embora o governo tenha conseguido cortar mais despesas do que previa em 2012, a arrecadação de impostos caiu por causa do crescente desemprego e da queda na demanda dos consumidores. Entre as novas medidas do governo, está o aumento da contribuição de todos os trabalhadores à previdência pública, dos atuais 11% para 18% de cada salário. Ao mesmo tempo, o governo prevê um corte na contribuição previdenciária das empresas, dos atuais 23,7% para 18%. O governo diz que a medida deve aumentar a competitividade das empresas portuguesas. As informações são da Dow Jones.
continua após publicidade