Economia

Espíritas gastam mais, e pentecostais têm a menor despesa

Da Redação ·





Por Pedro Soares

RIO DE JANEIRO, RJ, 14 de setembro (Folhapress) - Pela primeira vez, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) investigou na POF (Pesquisa de Orçamentos Familiares) de 2008/2009 o gasto por religiões e concluiu que o grupo com maior despesa era o de espíritas, com R$ 4.821,66 na média mensal familiar, muito acima da média de R$ 2.626,31.

Grupo majoritário da população (67% do total), os católicos tinham uma despesa de R$ 2.602,42, próxima à média. Os evangélicos de missão -tradicionais, como luteranos, batistas e outros- despendiam, em média, R$ 2.828,85.

Maior grupo dentre os evangélicos, os pentecostais tinham a mais baixa despesa: 2.035,01. Os demais evangélicos registraram um valor médio de 2.766,80.

Os dados mostram também que pentecostais gastam mais com alimentação (17,9%, contra apenas 12,3% de espíritas e 16,2% de católicos) e habitação (30,6%). O maior gasto com saúde era dos espíritas --6,8%, contra apenas 5% do grupo de outros evangélicos.

Outros evangélicos gastavam mais com transporte por causa da aquisição de veículos, que abocanhava 7,9% do orçamento do grupo. Os católicos tinham despesa maior com fumo (0,5%).

Dízimo

Segundo os dados do IBGE, o maior gasto com pensões, mesadas e doações (inclusive para as religiões) era a dos evangélicos de missão -2,3% do orçamento. No caso dos católicos, esse percentual era de 1%, o mais baixo de todos os grupos.

 

continua após publicidade