Economia

Bancários do Bahia seguem movimento nacional e decidem por greve

Da Redação ·

Por Nelson Barros Neto SALVADOR, BA, 13 de setembro (Folhapress) - Em linha com o movimento nacional, bancários da Bahia decidiram entrar em greve por tempo indeterminado a partir de terça-feira. A decisão foi tomada em assembleia hoje na avenida Sete de Setembro, em Salvador. A categoria rejeitou a proposta de 6% de reajuste salarial apresentada pela Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) após quatro semanas de negociação. Segundo o Sindicato dos Bancários da Bahia, o aumento real oferecido é de 0,58%, mas a categoria pede 5%. Os bancários reivindicam aumento do piso salarial de R$ 1.400 para R$ 2.400, além de mais contratações e aumento da segurança nas agências bancárias do Estado. "A radicalização é necessária para desmascarar os banqueiros, que adotaram o discurso de que não é possível conceder aumento real por conta da redução dos juros imposta pelo governo federal. O que é um verdadeiro absurdo, pois a medida beneficia a população e não afeta o rendimento das empresas, que é cada vez mais bilionário", afirma o presidente da Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe, Emanoel Souza. Na noite de ontem, bancários já haviam anunciado uma greve nacional depois que sindicatos por todo Brasil haviam concordado com a greve a partir da próxima semana.  

continua após publicidade