Economia

Energia-Governo

Da Redação ·

Presidente da Eletrobrás diz que medidas para setor afetarão companhia Por Lucas Vettorazzo RIO DE JANEIRO, RJ, 12 de setembro (Folhapress) - O presidente da Eletrobrás, José Carvalho da Costa Neto, afirmou hoje que as medidas anunciadas pelo governo federal acarretarão em consequências significativas para a Eletrobrás. Ele admitiu, porém, que elas impulsionarão a economia. "Temos consciência de que as medidas impulsionarão a economia brasileira, mas acarretarão consequências significativas para a Eletrobrás", afirmou Costa Neto, durante teleconferência com analistas e investidores para explicar os impactos do plano de redução da tarifa de energia anunciado pelo governo federal. As consequências as quais Costa Neto se referiu são a redução das receitas do grupo com venda de energia mais barata e os possíveis embates com o governo sobre a indenização que será paga aos investimentos ainda não amortizados pelas companhias. Em entrevista publicada hoje pelo jornal Valor Econômico, Costa Neto diz que pelos cálculos da empresa, seriam necessários R$ 28 bilhões em indenizações para amortizar os investimentos feitos nos últimos anos na manutenção e operação de suas usinas e linhas de transmissão. O valor é quase o dobro dos R$ 15 bilhões que o governo ofereceu a todas as empresas. "Nossas instalações estão em perfeitas condições de funcionamentos. Isso não é por acaso. Foi investido dinheiro nelas", disse ele. Segundo o executivo, a empresa já vem em movimento de redução de custos e sinergia de sistemas que ajudará na mitigação de possíveis impactos negativos do plano anunciado ontem. O movimento será apresentado no próximo plano de negócios da companhia, a ser divulgado em alguns meses, disse Costa Neto. "As medidas do governo irão acelerar a implantação das nossas ações, planos e programas relativos a redução de custos e aumento das receitas".  

continua após publicidade