Economia

Produção de implemento rodoviário cai 13,95% até agosto

Da Redação ·
A indústria de implementos rodoviários ampliou a queda na produção em agosto e já apresenta, no acumulado do ano, um recuo de 13,95% na comparação com igual período de 2011. Foram produzidos 108.853 implementos em 2012 até agosto, ante 126.499 registrados em igual intervalo em 2011. No período de janeiro a julho, o setor caía 11,99%. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira pela Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários (Anfir). O segmento que mais sofre é o de carrocerias sobre chassis, cuja produção caiu de 86.382 unidades nos oito meses de 2011 para 74.201 neste ano, um recuo de 14,10%. No segmento de reboques e semirreboques, o decréscimo chegou a 13,62%, de 40.117 para 34.652 unidades. A queda no setor de implementos rodoviários, no entanto, ainda é menor que a verificada na produção de caminhões pelas montadoras do País. De acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), nos oito meses de 2012, a indústria fabricou 88 mil unidades, 40% abaixo do volume que saiu das montadoras até agosto do ano passado. Para a Anfir, a antecipação de compra de caminhões equipados com motores Euro 3, no final de 2011, não foi acompanhada pela comercialização de implementos rodoviários. Outro fator mencionado pela entidade para explicar o distanciamento dos números de implementos e de caminhões é a necessidade de as transportadoras levarem mais carga a grandes distâncias, utilizando, assim, composições que demandam mais de um implemento por veículo. Apesar das más notícias do segmento ao longo de 2012, a Anfir acredita que a queda nos juros para financiamento de bens de capital pelo programa Finame, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), de 5,5% ao ano para 2,5%, vai diminuir as perdas em 2012. "Ainda é cedo para fazer previsões, mas a queda no porcentual dos juros dos financiamentos, determinada no final de agosto, foi muito bem recebida pelas empresas do setor", afirmou, em nota, o presidente da entidade, Alcides Braga.
continua após publicidade