Economia

Trabalhadores dos Correios no Estado rejeitam proposta de reajuste

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 11 de setembro (Folhapress) - Os trabalhadores dos Correios de São Paulo rejeitaram a proposta de aumento de 5,2% nos salários, oferecida pela empresa, informou o Sintect (Sindicato dos Trabalhadores da Empresa de Correios e Telégrafos). A decisão foi tomada após assembleia realizada hoje. O Sintect informou que uma nova reunião para discutir se os trabalhadores dos Correios devem ou não paralisar suas atividades será realizada no dia 18 de setembro. Segundo o sindicato, além de São Paulo, os funcionários dos Correios de Bauru, Rio de Janeiro, Brasília, Pernambuco, Campinas, Piauí, Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte e Tocantins também devem promover assembleia para discussão da pauta na mesma data. Caso não cheguem a um acordo, mais de 120 mil trabalhadores poderão suspender as atividades em todo o país. Impasse As negociações tiveram início em agosto, mas não foram fechadas por conta do reajuste de 3% oferecido inicialmente. A última proposta, de 5,2%, foi rejeitada por unanimidade. Entre as reivindicações, o sindicato de São Paulo pede 10,2% de reajuste (reposição da inflação mais 5% de aumento real), ticket refeição de R$ 28 (atualmente é de R$ 25), vale cesta de alimentação de R$ 160 (hoje está em R$ 140) e manutenção do convênio médico nos moldes atuais.  

continua após publicidade