Economia

Estados Unidos criaram 96 mil vagas em agosto

Da Redação ·
A economia dos Estados Unidos criou 96 mil empregos em agosto, informou o Departamento de Trabalho do país. O dado ficou abaixo da alta de 125 mil vagas esperada pelos economistas ouvidos pela Dow Jones. Republicanos e Democratas vão aproveitar os números de sexta-feira - a economia criou empregos a cada mês desde setembro de 2010, embora o ritmo tenha sido desigual e a recuperação, morna. O crescimento do emprego foi em uma média de 139 mil por mês até agora neste ano, em comparação aos 153 mil em 2011.

Os números do payroll de julho foram revisados em baixa para mostrar a criação de 141 mil postos de trabalho, ante alta de 162 mil reportados anteriormente. Os dados de junho foram revisados em queda para mostrar um crescimento de 45 mil empregos, ante estimativa anterior de criação de 64 mil postos de trabalho. O relatório foi divulgado apenas alguns dias antes de uma reunião crucial do Federal Reserve (Fed). O presidente do BC dos EUA, Ben Bernanke, falou em uma conferência em Jackson Hole, Wyoming, na semana passada, que o Fed não deve descartar novos esforços para reduzir o que ele descreveu como desemprego gravemente elevado.

A maior parte da criação dos empregos veio do setor privado, segundo o Departamento do Trabalho, com 103 mil novas vagas em agosto. O setor público teve corte de 7 mil vagas, à medida que os governos locais e dos Estados demitiram funcionários. O setor manufatureiro eliminou 15 mil empregados, conduzido pelo setor automotivo. O Departamento de Trabalho atribuiu parte da mudança a fatores sazonais - houve menos demissões do que o esperado em julho, quando o setor adicionou 14 mil postos de trabalho, e menos contratações em agosto.

Em um sinal levemente positivo contido no payroll, os ganhos médios por hora trabalhada caíram US$ 0,01, para US$ 23,52. A semana de trabalho média ficou inalterada em 34,4 horas em agosto. As informações são da Dow Jones.

continua após publicidade