Economia

Alimentos e bebidas puxam alta do IPCA, diz IBGE

Da Redação ·
Os aumentos nos preços dos alimentos e bebidas voltaram a pressionar a inflação em agosto, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O grupo alimentação e bebidas registrou variação de 0,88% em agosto, ligeiramente abaixo da verificada em julho, de 0,91%. Como resultado, os alimentos puxaram a alta de 0,41% na inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) no mês, com um impacto de 0,21 ponto porcentual. As regiões metropolitanas de Fortaleza e Curitiba tiveram as maiores altas nos alimentos, a primeira com um aumento de 1,36% e a segunda com avanço de 1,30%. Belém teve o menor resultado, com um aumento de 0,47%. Após um avanço de 50,33% nos preços em julho por causa da redução da oferta, o quilo do tomate voltou a subir em agosto. O fruto ficou 18,96% mais caro e manteve a liderança no ranking dos principais impactos do mês, com uma contribuição individual de 0,06 ponto porcentual no IPCA. No ano, o tomate já acumula uma alta de 76,46%. Ficaram mais caros também a cenoura, alho, batata inglesa, ovo de galinha, outras bebidas alcoólicas, pão doce, arroz, entre outros. Na direção oposta, registraram deflação os feijões carioca, fradinho e mulatinho, além do açaí, hortaliças e cebola.
continua após publicidade