Economia

Passos: nova malha ferroviária transportará passageiros

Da Redação ·
O ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, avaliou nesta terça-feira que os novos 10 mil quilômetros de ferrovias que o governo pretende licitar estarão aptos para transportar passageiros, ao contrário da malha atual que é usada quase inteiramente apenas para o tráfego de cargas. O conjunto de ferrovias faz parte do Programa de Investimentos em Logística lançado no mês passado. "Hoje não faz sentido colocar uma pessoa sentada para andar a 30 quilômetros por hora, mas na hora que nós tivermos essas ferrovias bem construídas, que permitam boas velocidades, teremos a possibilidade de fazer conviver o transporte de cargas com o transporte de passageiros", disse o ministro na abertura do evento Brasil nos Trilhos, promovido pela Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF). Ainda assim, completou Passos, a expansão da malha continuará sendo usada primordialmente para o escoamento "de um volume de cargas de grandes proporções". Para o ministro, o programa é uma resposta às demandas acumuladas no País nos últimos 20 anos. "Precisamos ter uma infraestrutura maior e melhor, mas associada ao desenvolvimento de atividades logísticas competitivas. Isso significa superar as deficiências nesse campo para podermos ter uma posição que seja capaz de nos colocar frente a frente com os países desenvolvidos", completou. Nesse sentido, Passos destacou também os investimentos em rodovias - que já foram anunciados -, além de portos e aeroportos, que devem ser divulgados pelo governo nas próximas semanas. "O programa de logística veio para assegurar que possamos ter devolvida a capacidade de planejar de maneira integrada os sistemas de transportes do País", concluiu. BR-101 Passos disse que o governo espera uma solução judicial em torno da concessão da BR-101 para poder finalmente assinar o contrato referente ao leilão realizado em janeiro deste ano. O grupo segundo colocado no certame - Rodovia Capixaba - questiona o triunfo do consórcio Rodovia da Vitória, liderado pela EcoRodovias. Segundo o ministro, o Tribunal de Contas da União (TCU) já liberou a assinatura do contrato, mas uma liminar ainda impede a formalização da concessão.
continua após publicidade