Economia

Aneel prefere investidores vindos do setor de energia, diz diretor

Da Redação ·





Por Julia Borba

SÃO PAULO, SP, 4 de setembro (Folhapress) - O diretor-geral da Aneel, Nelson Hubner, afirmou hoje que a agência prefere lidar com investidores do setor de energia aos que vêm de outras áreas. "Tem menos risco de sobressaltos", disse.

Neste fim de semana, a J&F, holding de controle do frigorífico JBS, apresentou manifestação formal para comprar o endividado grupo Rede Energia, incluindo a Celpa. A empresa paraense possui uma dívida estimada em cerca de R$ 3,5 bilhões e passa por processo de recuperação judicial.

A princípio, a Celpa estava negociando apenas com a Equatorial Energia, empresa que já atua no setor, no Estado do Maranhão.

O interesse chegou a ser comunicado à CVM (Comissão de Valores Imobiliários), mas ainda falta o aval da Aneel para que a operação seja concretizada.

Bertin

O Grupo Bertin é outro exemplo de empresa que entrou no ramo de energia, mas tem raízes na agropecuária. A empresa começou como um pequeno frigorífico no interior de São Paulo.

No caso Bertin, as usinas outorgadas em 2008, previstas para serem entregues em 2013, estão em atraso ou nem tiveram obras iniciadas.

A Aneel chegou a incluir na pauta para reunião de hoje a proposta de revogação de parte dessas usinas, mas deve adiar a apreciação do assunto.

"A agência errou ao permitir concessão de tantos blocos a um mesmo grupo, mas estamos corrigindo isso nos leilões subsequentes, avaliando não só a capacidade para construir uma usina, mas todas. Impondo limites", completou Hubner.
 

continua após publicidade