Economia

IBGE: caminhões e autopeças têm desempenho ruim em julho

Da Redação ·
Apesar de a produção de automóveis ter apresentado alta em julho, mês em que subiu 3,1% sobre julho de 2011, outros subsetores da atividade de veículos automotores, como caminhões e autopeças, continuam apresentando desempenho negativo, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O instituto observou um recuo de 10,6% na produção de bens de capital para transporte, que inclui os caminhões. No mesmo período, a parte dos veículos automotores que se enquadra nos bens intermediários, e que representa o segmento de autopeças, viu sua produção despencar 16,4%. Segundo André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do IBGE, o setor de autopeças ainda reclama de excesso de importados. A queda de veículos automotores em bens intermediários foi de dois dígitos em julho deste ano ante julho 2011. "Então, esses impactos positivos que ajudaram a explicar a recuperação de automóveis não necessariamente se abateram sobre o resto da cadeia produtiva. As peças realmente sofrem concorrência com importados", disse Macedo. A atividade de veículos automotores responde por cerca de 10% do total da indústria. Outro setor prejudicado em julho, em relação ao mesmo mês do ano passado, foi o de outros equipamentos de transporte. A queda de 52,9% na produção de motocicletas puxou o recuo de 2,7% nos bens de consumo duráveis em julho, apesar da boa performance dos automóveis, eletrodomésticos da linha branca (34,7%) e artigos de mobiliário (4,8%). A fabricação de motocicletas foi reduzida pela concessão de férias coletivas em empresas do setor. Outros destaques negativos na categoria bens duráveis foram os telefones celulares (-33,0%) e eletrodomésticos da "linha marrom" (-9,6%).
continua após publicidade