Economia

Estado vence disputa e terá fábrica de aviões

Da Redação ·





Por Julia Borba

BRASÍLIA, DF, 3 de setembro (Folhapress) - O governo de Santa Catarina firmou ontem um acordo de R$ 80 milhões com uma empresa aeronáutica de São José dos Campos (91 km de São Paulo). A Novaer Craft, atual produtora de trens de pouso para aeronaves, começará a produzir aviões próprios no Sul do país em dois anos.

Este é o prazo previsto para que a fábrica seja construída na cidade de Lages. O novo modelo de avião receberá a certificação da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) e da Aeronáutica. A partir daí, devem ser produzidos 120 aviões por ano, segundo informou a companhia.

Também estavam na disputa para receber a nova fábrica, os Estados de São Paulo e do Paraná. O governo de Santa Catarina, no entanto, se comprometeu a desenvolver políticas públicas para apoiar a indústria e será acionista da empresa.

De imediato, se comprometeu a injetar parte do montante necessário para dar início às atividades da empresa: R$ 15 milhões. O governo estadual defende que o arranjo é vantajoso para a região, que será transformada em um polo aeroespacial.

Até o momento, a Novaer planeja produzir dois modelos de pequenos aviões: um de dois e outro de quatro lugares. O primeiro é voltado para treinamentos militares. O segundo, atende ao transporte de passageiros e pequenas cargas.

"Esse é o modelo com maior volume de vendas dentro e fora do país. Além disso, o Brasil é o segundo maior mercado para este tipo de modelo, atrás apenas dos Estados Unidos", disse à Folha de S.Paulo o presidente da Novaer, Graciliano Campos.

Segundo Campos, este mercado hoje é atendido apenas por aviões de empresas estrangeiras. O projeto brasileiro, chamado T-Xc, foi feito pelo engenheiro Joseph Kovacs, projetista do "Tucano", avião de maior sucesso da Embraer. O T-Xc custará US$ 700 mil.

"Toda a estrutura da aeronave será de fibra de carbono. É o primeiro avião 100% fibra, material mais resistente que o aço e mais leve que o alumínio. Ideal para aviões, porque aumenta o desempenho", explicou o presidente da empresa.

A nova fábrica já terá de atender a uma encomenda de 200 aviões, feita por uma empresa revendedora americana. A expectativa é de que sejam criados 400 empregos diretos e 1.500 indiretos.
 

continua após publicidade