Economia

Contas de consumidores da Caiuá, Bragantina e Cemat vão subir

Da Redação ·

Por Mariana Schreiber BRASÍLIA, DF, 31 de agosto (Folhapress) - Consumidores de três distribuidoras de São Paulo e Mato Grosso do Sul, que estão sob intervenção do governo após decisão de hoje da Aneel, pagarão mais caro pela energia. Os reajustes, que já deveriam ter sido aplicados neste ano, ainda não tinham sido implementados porque essas empresas estavam inadimplentes com o governo por não terem pago encargos setoriais. Quando as distribuidoras estão inadimplentes, elas ficam proibidas de aplicar os reajustes de preços. A conta de luz da Caiuá, que atende alguns municípios de São Paulo, subirá 7,6%. A tarifa da Bragantina, que também atua em algumas cidades paulistas, terá acréscimo de 0,74%. Já a Cemat, que distribui energia no Mato Grosso do Sul, reajustará o preço em 2,62%. O reajuste pode ser aplicado imediatamente pelo interventores. A receita extra ajudará na recuperação da situação financeira dessas distribuidoras. Outras duas empresas que estavam inadimplentes, a Celtins (TO) e a Vale Paranapanema, que atende dez municípios de São Paulo, já haviam mudando seus preços, porque, no caso delas, o reajuste foi negativo. Quando há redução de tarifa, não importa se a empresa está em dívida com o governo. As demais companhias que sofreram intervenção estavam em dia com o pagamento de encargos sociais e por isso já haviam reajustado seus preços.  

continua após publicidade