Economia

Comércio teve ganho real do piso em 95% das negociações

Da Redação ·

O comércio foi o setor que apresentou em 2011 o maior porcentual de reajustes reais de piso salarial, de acordo com a análise de 671 negociações feita pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) em todo o Brasil. Ao todo, 94,8% nas negociações neste setor terminaram com aumento acima da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).


Segundo o estudo da entidade, divulgado nesta quarta-feira, o setor onde as categorias obtiveram menos sucesso no ano passado foi o de serviços: 86,8% conseguiram reajuste real nos pisos salariais. Na indústria, o porcentual foi de 94,1% e, no setor rural, de 88,5%. Entre as categorias que tiveram variação abaixo do INPC em 2011, 11,1% estavam no setor de serviços. Nos demais setores, rural, comércio e indústria, essa parcela foi, respectivamente, de 7,7%, 5,2% e 5%.


No entanto, maior aumento real em um piso registrado pelo Dieese em 2011 estava no setor de serviços (25% acima do INPC) e o menor, na indústria (7% abaixo do INPC). Na indústria, o piso médio ficou em R$ 677,60; no comércio, em R$ 615,83; em serviços, em R$ 652,94; e no setor rural, R$ 615. O maior valor médio, de R$ 990, foi encontrado em pisos salariais de bancos e seguros privados.


Na análise por regiões do País, o maior piso médio em 2011 foi encontrado no Sudeste (R$ 795,96) e o menor, no Nordeste (R$ 633,65). Na Região Sul, o valor médio ficou em R$ 726,75); no Centro-Oeste, em R$ 697,54; e no Norte, em R$ 667,84.

continua após publicidade