Economia

Emprego na indústria cresce 0,1% em fevereiro, mostra IBGE

Da Redação ·

O emprego na indústria brasileira variou 0,1% em fevereiro, na comparação com o mês anterior, segundo levantamento divulgado nesta quinta-feira (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

continua após publicidade

Em fevereiro, a produção da indústria brasileira apresentou crescimento de 1,3%, na comparação com o mês anterior, que havia registrado queda de 1,5%.

Apesar da leve alta registrada na variação mensal, de janeiro para fevereiro, o emprego industrial recuou 0,7% em relação ao mesmo mês de 2011. Esse foi o quinto resultado negativo consecutivo nesse tipo de confronto e o mais forte desde janeiro de 2010 (-0,9%). O índice acumulado nos últimos 12 meses avançou de 3,9% em fevereiro de 2011 para 0,5% no mesmo mês deste ano. A pesquisa mostra que o número de horas pagas aos trabalhadores da indústria cresceu 1,3% sobre janeiro, após queda de 0,1%. Na comparação anual, a taxa teve queda de 0,8%, a sexta negativa seguida nesse tipo de confronto, mas a menos intensa desde setembro último (-0,5%). No primeiro bimestre, a taxa recuou 1,1% e, em 12 meses, 0,2%.

continua após publicidade

Salário Em fevereiro, o valor da folha de pagamento dos trabalhadores da indústria cresceu 1,3% em relação ao mês anterior, segunda taxa positiva consecutiva.

"No resultado desse mês, observa-se a clara influência do avanço de 22,0% assinalado pelo setor extrativo, por conta do pagamento de participação nos lucros e resultados em empresas do setor, uma vez que a indústria de transformação apontou queda de 0,6%. Ainda na série com ajuste sazonal, o índice de média móvel trimestral apontou expansão de 1,5% entre os trimestres encerrados em janeiro e fevereiro, intensificando o resultado positivo registrado no mês anterior (1,3%)", disse o IBGE, por meio de nota.

Em relação ao mesmo período do ano anterior, o valor da folha de pagamento cresceu 5,4% - o 26º resultado positivo consecutivo nesse tipo de comparação e o mais intenso desde agosto de 2011 (7,1%).