Zoom é condenado por mentir sobre criptografia de ponta a ponta - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

Segurança Digital

Zoom é condenado por mentir sobre criptografia de ponta a ponta

Foto por Olivier Douliery/Reprodução
Escrito por Da Redação
Publicado em Editado em
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

O Zoom é condenado após mentir sobre criptografia de ponta a ponta para usuários. O sistema de Videochamadas vem sendo muito utilizado, principalmente durante a pandemia causada pela Covid-19.

Os servidores do Zoom  mantêm as chaves criptográficas que permitiriam à empresa acessar o conteúdo das reuniões de seus clientes. Essa prática acaba com todo o propósito do termo "ponta a ponta", que implica em uma criptografia que não pode ser quebrada nem mesmo pela empresa que gere o sistema.

A empresa ainda alegou aos usuários que queriam armazenar reuniões gravadas em nuvem da empresa, que elas seriam criptografadas imediatamente após seu término. Em vez disso, elas foram armazenadas sem criptografia por até 60 dias.

A Zoom concordou em implementar um programa de segurança abrangente (a criptografia ponta a ponta não foi incluída no acordo, mas a empresa já anunciou que vai fazer isso). Não haverá compensação monetária para os usuários enganados.

Deixe seu comentário sobre: "Zoom é condenado por mentir sobre criptografia de ponta a ponta"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.