Cotidiano

Vacina recusada pelo Governo custava metade do preço em 2020

Em documentos divulgados pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), a farmacêutica Pfizer enviou ao governo federal 53 e-mails; nenhum deles foi respondido.

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Vacina recusada pelo Governo custava metade do preço em 2020
Vacina recusada pelo Governo custava metade do preço em 2020

A Folha de S. Paulo publicou reportagem nesta segunda-feira (07/06), com base em e-mails trocados entre representantes da gigante da indústria farmacêutica, a Pfizer, e o governo Bolsonaro, que atestam que o mandatário recusou vacinas no ano passado pela metade do preço pago por Estados Unidos, Reino Unido e União Europeia.

continua após publicidade

Em depoimento à CPI, o general e ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello reiterou que considerou caras, em agosto de 2020, a proposta de entrega a partir de dezembro do ano passado de até 70 milhões de doses da Pfizer, a US$ 10 cada.  

53 e-mails

continua após publicidade

Documentos divulgados pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da CPI da COVID, mostram que a gestão Jair Bolsonaro deixou de responder 53 e-mails da farmacêutica Pfizer enviados para pedir um posicionamento sobre a compra de vacinas.

TCU

Eduardo Pazuello chegou alegar que o governo não aceitou a oferta em função do Tribunal de Conta da União (TCU), que, por meio de nota, desmentiu o ex-ministro.

continua após publicidade

A primeira ida de Pazuello à CPI foi marcada por tantos relatos contraditórios, que ele foi convocado para um segundo depoimento. Ainda, assim, após o segundo depoimento de Pazuello, o presidente da CPI, senador Omar Aziz  (PSD) declarou considerar a realização de uma acareação  entre o ex-chefe da Secretaria de Comunicação (Secom) do governo federal Fabio Wajngarten, o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello e um representante da Pfizer.

Com informações: Estado de Minas