Cotidiano

Ucrânia usa avaliação de sites para driblar controle russo

Os espaços de avaliação de restaurantes e cafés nos sites como Google Maps se tornaram uma forma de driblar o controle sobre as informações imposto pela Rússia

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Ucrânia usa avaliação de sites para driblar controle russo
fonte: Pixabay

Os usuários da internet na Ucrânia estão usando o espaço de avaliação de restaurantes e cafés em sites como Google Maps e o russo Afisha para descrever o que acontece no território ucraniano, como forma de driblar o controle sobre as informações imposto pela Rússia.

continua após publicidade

Nesta terça-feira (01), de acordo com matéria do g1, a rádio Ekho Moskyy foi tirada do ar, além disso, o órgão de regulação da mídia da Rússia acusou dez veículos jornalísticos de descrever falsamente a invasão da Ucrânia.

As operações militares especiais, como foi intitulado pelo governo russo, uma vez que a Rússia rejeita a palavra invasão, tem como objetivo destruir a capacidade militar da Ucrânia, não sendo uma ação militar voltada para a ocupação do território.

continua após publicidade

No entanto, em uma avaliação de um restaurante no site Afisha está escrito “o emprego de tropas na Ucrânia é uma guerra, não uma operação militar especial, os militares russos estão matando crianças e civis”.

Um outro escreveu: “O lugar era simpático, no entanto, Putin estragou o clima ao invadir a Ucrânia. Levantem-se contra o ditador de vocês, parem de matar inocentes, o governo de vocês está mentindo para vocês”.

Não é possível identificar quem são os autores dos textos.

continua após publicidade

Um perfil de Twitter associado ao grupo Anonymous afirmou que há planos para mirar na presença da Rússia na internet, e pediu para que as pessoas fizessem avaliações no Google Maps sobre o que acontece na Ucrânia.

Também recomendaram postar fotos da Ucrânia, especialmente de casas destruídas, nas avaliações de restaurantes famosos.


Fonte: Informações do g1.

Tags relacionadas: #GUERRA #Rússia #ucrânia