Cotidiano

Travesti acusada de matar rival por causa de peruca é condenada

Atrito começou durante um show de axé em 2014 e vítima foi esfaqueada quando saía do evento

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
O julgamento ocorreu nesta sexta-feira (5), em Belo Horizonte
fonte: Divulgação assessoria Fórum Lafayette
O julgamento ocorreu nesta sexta-feira (5), em Belo Horizonte

Acusada de matar um desafeto a facadas após um show de axé, a travesti Andressa Demétrio foi condenada a mais de oito anos de prisão. O atrito, que terminou em assassinato, foi por causa de uma peruca. O julgamento ocorreu nesta sexta-feira (5), em Belo Horizonte. Com informações do g1.

continua após publicidade

A sessão foi realizada no 3º Tribunal do Júri de Belo Horizonte, no Fórum Lafayette, e o conselho de sentença foi composto por seis homens e uma mulher.

Durante interrogatório, Andressa confirmou que conhecia a vítima, uma outra travesti identificada como Samantha, de um ponto de prostituição de Belo Horizonte, local em que as duas trabalhavam.

continua após publicidade

No dia do show, em agosto de 2014, a acusada contou que elas tiveram um desentendimento dentro do estádio Independência, que agrediu e foi agredida. Andressa afirmou que precisou de atendimento devido à gravidade dos ferimentos, mas depois continuou no evento.

Já fora do estádio, a travesti afirmou que foi novamente ameaçada e provocada por Samantha e outras pessoas. Foi aí que ela esfaqueou a vítima.

Desentendimento por peruca

continua após publicidade

Conforme consta na denúncia apresentada à Justiça, Samantha estava com um amigo no show quando a acusada disse que pretendia pegar a peruca desta terceira pessoa.

A vítima não concordou e teve início a discussão com Andressa.

Conforme a assessoria de imprensa do fórum, considerando que a ré ficou presa preventivamente, a juíza Fabiana Cardoso Gomes Ferreira determinou que o regime inicial seja o semiaberto. Ela também concedeu à Andressa o direito a recorrer em liberdade.

Com informações do g1.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News