MAIS LIDAS
VER TODOS

Cotidiano

'Terá que haver algum tipo de tratamento extraordinário ao RS', diz Renan Filho

O ministro dos Transportes, Renan Filho, afirmou que será necessário oferecer algum "tratamento extraordinário" ao Rio Grande do Sul, devido aos efeitos dos recentes desastres no Estado.As declarações ocorreram neste domingo 5, em entrevista àGloboNews, a

Victor Ohana (via Agência Estado)

·
Escrito por Victor Ohana (via Agência Estado)
Publicado em 05.05.2024, 17:25:00 Editado em 05.05.2024, 17:32:42
Imagen google News
Siga o TNOnline no Google News
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.
Continua após publicidade

O ministro dos Transportes, Renan Filho, afirmou que será necessário oferecer algum "tratamento extraordinário" ao Rio Grande do Sul, devido aos efeitos dos recentes desastres no Estado.

continua após publicidade

As declarações ocorreram neste domingo 5, em entrevista àGloboNews, após ter sido perguntado sobre a possibilidade de o Congresso Nacional criar um "orçamento de guerra" como o elaborado na pandemia de covid-19.

"Essa é a discussão que vai ser colocada nos próximos dias no âmbito do Congresso Nacional. O que aconteceu aqui em Porto Alegre, nos municípios do interior do Estado do Rio Grande do Sul, é também uma coisa extraordinária e não pode ser tratado ordinariamente", afirmou Renan Filho.

continua após publicidade

Para o ministro, "terá que haver algum tipo de tratamento extraordinário ao Rio Grande do Sul, pelo impacto que o Estado sofreu". Por outro lado, ele salientou a necessidade de planejar um repasse que assegure o "bom uso dos recursos públicos".

Em uma coletiva de imprensa durante a tarde, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva prometeu ajuda ao governo gaúcho na recuperação de estradas estaduais, no oferecimento de uma linha de crédito para empresas afetadas e na disponibilização de serviços do Sistema Único de Saúde, entre outras ações. Lula estava acompanhado de uma comitiva de 13 ministros de governo, mais representantes do Legislativo e do Judiciário.

Na ocasião, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), pediu a criação de uma espécie de "Plano Marshall" para o Estado, com garantia de benefícios sociais e de financiamentos extraordinários para a assistência social e para a saúde. O presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Bruno Dantas, também defendeu "regras mais flexíveis" para os repasses.

Os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), afirmaram que nesta segunda-feira, 6, líderes partidários devem debater leis ordinárias, complementares e emendas à Constituição que podem ser propostas para auxiliar o Rio Grande do Sul.

Gostou desta matéria? Compartilhe!

Icone FaceBook
Icone Whattsapp
Icone Linkedin
Icone Twitter

Mais matérias de Cotidiano

    Deixe seu comentário sobre: "'Terá que haver algum tipo de tratamento extraordinário ao RS', diz Renan Filho"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.
    Compartilhe! x

    Inscreva-se na nossa newsletter

    Notícia em primeira mão no início do dia, inscreva-se agora!